O que você tem feito com o tempo que a “Vida” lhe dá?
3 de setembro de 2020
Pessoas diferentes fazem a diferença?
3 de setembro de 2020

Onde é a sua casa?

Quem nunca desenhou uma casa torta com duas nuvens e um sol quase redondo no meio, com olhos, boca e nariz? Ao longo da vida a gente passa por vários tipos de casa, tem a do desenho, a de brinquedo, a casa da árvore, a casa do amigo, a casa da praia nas férias, a casa de Deus aos domingos.

São muitas casas, imagens e metáforas de casa em que a gente vai morando e vivendo ao longo da nossa história, e a gente cresce e aprende que precisa ter uma casa, tem consórcio, financiamento, baú da felicidade; tudo relacionado a essa questão de casas e moradias diversas.

A primeira casa é o ventre da mãe, a casca do ovo, o ninho seguro e livre de maldade. Casa é proteção, vida e aconchego.

Essa sensação de estar em casa, é um valor agregado e um vínculo positivo, quando falamos para as visitas agradáveis e que nos são caras: Sintam – se em casa, isto quer dizer que estamos dispostos a fazer algo para que percebam o melhor do ambiente e estejam confortáveis. Casa é conforto, segurança e vínculo afetivo.

Bom atendimento é fazer o cliente se sentir em casa! Estar em casa é valor agregado, experiência de compra positiva e fidelização.

Casa é memória afetiva, cheiro da casa da vó, saudade da casa antiga da infância, sabor de comida caseira que toca e remete a gostar da vida, é fotografia guardada, detalhe de herança e história.

Fulano ou fulana é de casa! Quer dizer que são de confiança, que merecem saber de nossas vidas e podem participar de todos os acontecimentos.

Beltrano mora no meu coração! Quer dizer que este alcançou a posição e merecimento do mais puro amor. Visitas são passageiras, já quem mora, está na condição de permanência. Morar no coração é ser amado. O coração é a casa onde mora o amor.

A viagem foi ótima, mas não vejo a hora de chegar em casa! Casa quer dizer encontro e reencontro com aquilo que somos, com nossa identidade de vida, com nossas coisas, com descanso, alívio e paz.

Vou fugir de casa! Não aguento mais esse lugar. Casa pode ser uma prisão ou a sensação de solidão mais profunda para algumas pessoas. 

A sua casa está a sua cara, dá para ver logo de imediato que foi você que escolheu tudo! Casa serve também para externar o que há de melhor ou pior em nós!

Nossa! Aqui está uma bagunça, nem parece casa! Casa também é um conceito de boa convivência e ordem.

Não faça isso ou aquilo, você não está em sua casa! Casa pode ser um local de liberdade, para fazer o que der na telha, por a música preferida, andar de roupa velha e até sem roupa!

Que emprego ótimo, me sinto em casa! Casa é sinal de oportunidade, respeito e pertencimento!

A casa tem um papel essencial em nossa trajetória, ela está na literatura, pode ser de doces e confeitos, de madeira que o sopro leva e também a da vovozinha! Ela está no brinquedo de montar, no desejo de ter um espaço para formar uma família e de envelhecer em paz. Pacientes terminais pedem para irem para casa e passar os seus últimos momentos no local onde se sentem mais vivos, mesmo que seja por um breve espaço de tempo.

Depois de um tempo ou permissão de vida, descobrimos que o nosso corpo também é uma casa, uma casa para guardar a alma da gente. E então a ideia de casa ou moradia fica um pouco mais profunda, tendo em vista que a nossa alma, deve seguir um curso e ir em busca da casa definitiva, que por muitos é chamada de céu. O Céu é então a casa perfeita, onde a maioria deseja morar.

E depois de tantas casas e suas múltiplas sensações, nos deparamos com a condição de visitantes, na casa física e tangível, com a realidade “concreta” de que não moraremos aqui para sempre, estamos apenas de passagem e só então iremos para a nossa Casa, nosso verdadeiro lar.

Costumo dizer que meu trabalho serve para ajudar as pessoas a voltarem “felizes” para casa. Seja a casa em que está a sua família, a equipe de trabalho ou a casa no céu, livres de culpas imaginárias, arrependimentos e propósitos não concluídos. Cultivando o amor, com autoconhecimento, perdão e missão de vida!

Amar o próximo e respeitar as leis, com ética e moral é ter a consciência que todos têm direito à moradia, seja a com água encanada e luz elétrica, a de paz e pertencimento e a de realização pessoal. Respeitar o espaço do outro é reconhecer que o mesmo tem direito a ter um lugar para ser quem ele é, de se desenvolver e ser feliz.

Aqueles que percebem que todas as casas e seus múltiplos conceitos são apenas uma moradia passageira para tudo que de fato somos, tem um poder grandioso de se desprender e seguir em frente, apesar do lugar em que estejam, pois tudo passa a acontecer pelo lado de dentro e não em cômodos, endereços e edificações físicas. 

Sentir-se em casa, dentro de si mesmo, é a capacidade de se autoconhecer e realizar-se, com a consciência de que tudo ocorre primeiro dentro de nós, e lá está a chave para boa parte do que escolhemos, vivemos e fazemos. 

Qual é o seu ambiente favorável?

Onde moram os seus sonhos?

Quais as pessoas e sentimentos que você deseja para compor o seu lar?

De que cor é a casa da sua alma?

Onde você quer morar?

#Pertencimento #Identidade #Propósito #Paz  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *